Como me salvar de um relacionamento abusivo com as redes

Durante a pandemia, pedidos de separação despencaram nos primeiros três meses. Depois, deram um salto com aumento de 54% entre maio e julho. Longe de ser especialista, apostaria que o isolamento acelerou o fim de muitos casais que já não iam às mil maravilhas. 

Meu relacionamento com as redes sociais é um desses casos que já não vinham bem. Já era uma relação abusiva antes da Covid-19. No início é fácil brindar à possibilidade de conexão constante e a (aparentemente) definitiva aceitação do mercado pelo trabalho remoto. Passados os primeiros meses, o isolamento prolongado e a dependência das telas mostraram que meu caso estava longe de um final feliz.

Irritação, ansiedade, falta de tempo. O desentendimento com as redes sociais atrapalha a saúde mental e ainda pode ser um flerte fatal para qualquer relacionamento, inclusive os amorosos. Mas como muitos passam por dificuldades neste período, não faltam matérias com terapeutas que ajudam a retomar relações a perigo. Foi aí que percebi como os conselhos para relacionamentos amorosos poderiam reabilitar meu caso com as redes e evitar um litígio digital.  

Não coloque a culpa toda no outro

O inferno são os outros. Mas admitir os erros é o primeiro passo para retomar qualquer relacionamento. Sabemos cada vez mais sobre o “dilema das redes”, mas cancelar as redes é inútil sem assumir a própria responsabilidade de buscar o melhor conteúdo e não deixar ser tragado pelas artimanhas das tretas digitais. Reconheço que a responsabilidade é, ao menos, 50% toda minha. 

Conecte-se outra vez com aquilo que uniu vocês

Resgatei a essência daquilo que me deixava feliz no início do meu relacionamento com a Internet: longas entrevistas, acesso aos sites, jornais e programas de qualquer lugar do mundo, ideias e conteúdo para aprender coisas novas. 

Não tente resolver conflitos de longa data neste momento

Nenhum relacionamento passa por uma pandemia em meio à crise política, econômica, moral e cognitiva de um país se ainda tiver que discutir problemas antigos com a família e amigos. Por pior que a situação esteja, não é hora de jogar na cara de ninguém que a pessoa votou mal na última eleição. Aliás, muito mal. Mas se for para discutir política nas redes, pense no futuro! 

Não prometa mudanças que você não pode cumprir

Sabe aquele cara que desde 2014 aparece periodicamente na sua linha do tempo e promete a “retomada da economia agora!”. Não se torne uma pessoa assim com você mesmo. Nenhum relacionamento tem futuro com promessas vazias. Bom, talvez os relacionamentos dos gurus das redes com seus seguidores seja a exceção. Mas não prometa a si mesmo que você vai sair melhor dessa e abrace seus “guilty pleasures” com as redes sociais. Não deixe de ver aquele meme idiota que você acha super engraçado ou debates sobre aquela série farofa-adolescente que você não assistiria nem quando era adolescente. Lembre-se de que nada foi fácil em 2020. 

Valorize o que há de positivo no relacionamento

Em vez de se indignar com o que o outro faz de errado por que não destacar as coisas boas? Em vez de postar as asneiras e os comentários infelizes, por que não dar mais visibilidade às boas atitudes e exemplos bacanas que surgem nas redes? Pensei comigo: por que respondo aquele único comentário negativo que me ofende e não agradeço aos outros 99 que debateram ou discordaram de maneira civilizada? 

Tenha um tempo só seu

Para ter uma relação saudável cada um precisa ter seu canto e saber se dedicar a si próprio. Portanto, é preciso saber a hora de se afastar da Internet. Ler um livro, fazer exercícios e mesmo ficar à toa salvam relacionamentos pessoais e também com as máquinas.  

Não pressione por sexo 

Apesar do tempo em casa, manter a rotina sexual pode ser mais difícil. Pergunte para quem tem filhos. Para os solteiros, o isolamento é uma modalidade de castidade forçada. Neste climão, a Internet parece a solução para nos aliviar da pressão. Impuro engano. Os problemas da pornografia na Internet vão muito além do constrangimento causado pelo gemidão do zap. Além de ser mais irreal do que felicidade de Instagram, o sexo digital gera dependência, ansiedade, mau-humor e prejudica o desempenho na hora da verdade. 

Procure ajuda profissional

Assim como casais em crise devem procurar terapia, ter um relacionamento saudável com a Internet também exige orientação de especialistas. Em meio a tanto conteúdo, fake news, frases motivacionais e convites para lives nem sempre é possível separar o que realmente importa. Então é melhor aproveitar que há muita gente trabalhando para selecionar e produzir conteúdo bacana em newsletters e podcasts do que tentar resolver tudo sozinho. Uma visita ao terapeuta para organizar as ideias e lidar com a ansiedade também é uma excelente opção.

Focaccio

Consultor de comunicação e produtor de conteúdo, eleito Top Voice do LinkedIn em 2019. Já atuei como assessor de imprensa, social media, community manager, editor de conteúdo e BI. Trabalhei em grandes agências de Relações Públicas e Marketing Digital onde aprendi a resolver problemas em pouco tempo, a correr riscos e a produzir conteúdo com o menor tempo e custos possíveis. Há dois anos decidi trabalhar como profissional independente para empresas e executivos. No último ano realizei trabalhos para grandes empresas como Facebook (Ideal H+K) e LinkedIn (In Press Porter Novelli) e dei treinamentos para empresas como Grupo Boticário, Whirlpool, J&J Medical Devices, Cultura Inglesa, entre outros.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s